Menu

Abertura da Concafras em Dourados-MS

06 MAR 2019
06 de Março de 2019

Abertura da Concafras em Dourados destaca união entre os povos para a promoção da paz  

 

Com representantes da Colômbia, Paraguai, Argentina e Estados Unidos, a abertura da 63ª Concafras em Dourados foi uma festa de alegria e fraternidade, na noite de sábado (2), na Cidade Universitária (UFGD e UEMS). Perto de completar 150 anos do fim da Guerra do Paraguai, encerrada em março de 1870, a Concafras Douraguai uniu povos que sofreram diretamente com o conflito, mas que voltaram a conectar-se, agora para confraternizar e promover a paz.

 

O tenor católico, Jorge Galeano, entoou músicas cristãs e canções bem conhecidas do público. O cantor paraguaio animou a plateia, que sintonizou na vibração de alegria, destacada ainda pelo trio de jovens Alejandro Aquino, Adan Aquino e Vinícius Durau, que vieram de Assunção (Paraguai-PY) e, juntos também encantaram os caravaneiros.

 

O presidente da 63ª Concafras em Dourados, Humberto Ribeiro, destacou os frutos desse evento, que foi realizado pela primeira vez na cidade em 1990. “Essa sementinha foi plantada aqui há 30 anos, e estamos muito felizes por estarmos hoje repetindo essa ação que já está em sua 63ª edição, atestando como os frutos são verdadeiros e eficientes”. O coordenador ressaltou ainda que as atividades não param e as crianças que hoje estão na Concafrinhas, têm a tarefa de dar continuidade às ações, garantindo o futuro do trabalho.

 

O reitor da UEMS, doutor Fábio Edir Costa, destacou que o espaço que sedia o congresso é um exemplo de vivência do que a Concafras propõe. “Nós temos aqui um exemplo de paz e cidadania, pois na mesma cidade universitária, duas universidades públicas de esferas diferentes ocupam o mesmo espaço. E é uma grande honra estarmos aqui juntos compartilhando e, acima de tudo, vivendo um momento tão bonito como esse. Minha paz voz dou”, disse o reitor da UEMS.

 

Liane Calarge, reitora da UFGD, iniciou sua fala cumprimentando os “concafreiros”. “Com certeza toda essa energia, essa luz maravilhosa vai deixar seu rastro nas nossas universidades por muito tempo. Nós precisamos dessa paz e dessa luz, e que a espiritualidade ampare nossos corações para o voluntariado e abra as nossas mentes para o conhecimento, já que aqui estamos em um espaço de conhecimento”, destacou.

 

Trazendo um ônibus repleto de caravaneiros do Paraguai, Sixto Aquino expressou intensa gratidão a todos que o apoiaram para estarem ali. “Deixo aqui minha gratidão aos brasileiros por nos acolher neste encontro tão caloroso e também aos companheiros de Campo Grande, que conheci no ano passado. Um ano depois estamos voltando e mostrando o resultado desse trabalho”, conta Sixto, que coordena um posto de assistência espírita na capital paraguaia.

 

Vindo da Argentina com mais dois caravaneiros, Sara Beatriz Castro também aproveitou para agradecer a todos. “Nós viajamos dois dias, mas estamos aqui porque queremos levar ao nosso país paz. Nosso país necessita da semente da paz e viemos aqui aprender com vocês, nossos irmãos e estamos muito agradecidos por isso”.

 

O colombiano Gabriel Baquero destacou as trocas entre Brasil e Colômbia, que compartilham tantos negócios, ressaltando que agora é imprescindível compartilharem fraternidade, carinho e amor. “Para mim é motivo de muita alegria regressar ao Brasil e encontrar essa família cada vez mais numerosa e levar essa experiência que sem dúvida nos vai servir para melhorar o trabalho que de forma incipiente estamos fazendo na Colômbia”, acrescentou o caravaneiro que irá realizar o quinto Encontro Fraterno Auta de Souza na cidade de Pereira.

 

Já em Cape Cod, em Massachusetts, nos Estados Unidos, entre 11 e 14 de julho acontecerá a primeira Concafras no país. Ana Oliveira veio da América do Norte para levar de volta na bagagem mais energia e carinho. “Todos os países precisam de paz, nos Estados Unidos não é diferente.  E realmente é só através do nosso Mestre Jesus que a gente pode conseguir essa paz. É bom demais estar aqui vibrando junto no mesmo sentido, isso tem um poder muito grande. A gente vai levar todo esse carinho, essa energia para a nossa primeira Concafras”, afirmou Ana.

 

Participando pela segunda vez de uma Concafras, o senhor Antônio de Arruda conta que teve o prazer de estar nos dois eventos justamente em Dourados. “Eu vim em 1990 e me lembro que na época viemos cerca de quinze pessoas de Corumbá e foi tão empolgante e boa como essa que está começando”. Morando agora em Rio Verde/MS, o participante disse que a Concafras é um passo importante para retomar as atividades na doutrina, depois de ficar afastado por muitos anos.

 

BOX

150 anos depois do fim da Guerra, um grande evento une povos para promover a PAZ

No dia 1º de março de 1870 teve fim uma guerra entre quatro nações irmãs. Há quase 150 anos esses irmãos que vêm se reconciliando, se desvencilhando das amarras da amargura e da dor. No trabalho da nossa redenção individual ou coletiva, a dor é sempre o elemento amigo e indispensável, mas esse sofrimento não é eterno, ele acaba quando acolhemos Jesus em nossos corações. E hoje estamos aqui reunidos para celebrar a paz. A paz que nosso querido irmão Jesus nos trouxe através do seu exemplo carinhoso e benevolente para que todos nós pudéssemos aprender a nos amar. Estamos aqui para celebrar essas nações que, unidas em um abraço caloroso de amor, seguem em direção ao nosso querido Pai, não mais como irmãos rebeldes, e sim como companheiros de caminhada.

Voltar
Contador Gratis
Tenha também o seu site. É grátis!